BIO

Foi em Goiás, na cidade de Caldas Novas, que no final da década de 90 o músico e compositor Gui Silveiras tocou seus primeiros acordes de violão e se encantou definitivamente pelo infinito universo da música. Em pouco tempo começou a arriscar suas primeiras composições e a se apresentar tocando baixo elétrico e guitarra em festas e festivais estudantis com sua primeira banda de garagem.


Em 2002, aos 15 anos, o jovem musico deixou o estado de Goiás e partiu para São Paulo, ingressando no renomado Conservatório de Música de Tatuí. Um divisor de águas em seu processo musical, abrindo sua mente para novas possibilidades musicais e estéticas. Nesse período fez aulas e workshops com grandes mestres e renomados músicos do cenário nacional e internacional como André Marques, Hamilton de Holanda, Arismar do Espírito Santo, Ivan Vilela, Nelson Faria, Fabio Leal, Fabio Gouvêa, Egberto Gismot, Itiberê Zwarg, Ary Piazzarollo, Ector Costita entre outros. No ano de 2010 Concluiu o curso de guitarra MPB/Jazz, durante esse período também se dedicou aos estudos de violão e canto popular, canto lírico, percussão e arranjo.

 

Logo após se formar foi convidado a integrar a orquestra de música popular 'Vintena Brasileira', grupo coordenado pelo pianista e compositor André Marques, com o qual participou das gravações dos CDs "Bituca", homenageando Milton Nascimento e "[R]existir", com participações de Mônica Salmaso e Arismar do Espírito Santo.


No 2013 lançou "Caburé", seu primeiro CD autoral, premiado pelo ProAc (Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo). Nesse mesmo ano iniciou sua carreira internacional participando de festivais no Uruguay, Alemanha, Italia, Bélgica e França. 

 

Em sua trajetória o músico e compositor dividiu palco com importantes nomes da música brasileira como Hamilton de Holanda, Mônica Salmaso, Nelson Sargento, Sergio Santos, Arismar do Espírito Santo, Nenê, Itiberê Zwarg, André Marques, Vinícius Dorin, Tantinho da Mangueira, Yaniel Matos e Kiko Dinucci.


Multi instrumentista, Gui Silveiras toca guitarra, violão, cavaquinho, viola caipira, baixo elétrico, percussão e também atua como compositor, produtor musical e arranjador. Com uma incrível versatilidade tem participação em trabalhos de diversos gêneros, não se limitando a atuar em um único estilo musical. Já atuou também em grupos teatrais como "Companhia do Tijolo e Companhia do Miolo" e o grupo circense "The Bigosty Shows".

Em sua carreira tem participado de inúmeros festivais pelo Brasil, tendo sido premiado no "FEM-Rio Preto", "Botucanto", "Prêmio Lolô Terra", "Festival Nacional de Ilha Solteira", "Femp4" e "FEMA-Araraquara".

 

Em seu novo projeto autoral intitulado "Bate Tambô" o músico explora o universo afro trazendo composições e interpretações de grandes clássicos de "pontos de terreiro" homenageando o panteão dos Orixás africanos.

 

Além de seu trabalho autoral o músico Gui Silveiras é integrante do grupo "Firma o Ponto-Samba de Terreiro", grupo dedicado a execução de músicas voltadas para a cultura afrobrasileira do Candomblé, Catimbó e Umbanda.



 

"A música é uma linguagem universal de expressão da alma" (Gui Silveiras)

Desencana Pé de Cana
00:00 / 02:26